UFRGS Escola de Engenharia Centro de Tecnologia

  Modelos Físicos
Fonte de Laser
O LASID possui modelos físicos, em escala 1:1, de distribuidores e de molde de lingotamento contínuo de tarugos. Nos modelos de distribuidor são realizados ensaios de visualização do escoamento empregando técnicas de corante e de planos de laser, assim como ensaios de qualificação de escoamento por meio de DTR. No modelo do molde estuda-se o comportamento do escoamento e/ou da camada de escória frente a diferentes tipos de válvula submersa.

Modelos Físicos

O laboratório também dispõe de um modelo, em escala reduzida, de uma panela siderúrgica. Nesse modelo são realizados ensaios de injeção de gás, para melhorar a eficiência do processo de mistura no caso de adição de ligas e estudos de flotação e remoção de inclusões para a produção de aços limpos.








Estações de Trabalho
Estações de Trabalho para Simulação Numérica
As simulações numéricas de processos siderúrgicos são realizadas em 4 microcomputadores de alta performance com grande capacidade de armazenamento de dados.









Forno HT-2100
Forno HT-2100-Vac-Graphit-Special da LINN High Therm.
> Pode ser operado via controlador ou computador.
> Câmara de alumina ou grafite. Pode-se trabalhar com Argônio, N2, CO, H2, CO2
> Possui bomba de vácuo turbomolecular chegando a 10-5 mbar.
> Sistema de queima de gases, sensores de segurança para H2, sistema de monitoramento de gases para O2, SO2, CH4, CO, CO2
> Temperaturas de trabalho: máx. 2100 / 1700 °C
> Potência: 15 kVA (380V, 60 Hz)

Exemplos de temas de estudo com possibilidade de uso do forno:
> Reação metal-escória na fabricação de aço com ou sem injeção de gás.
> Reação metal-gás (idem).
> Processos de sinterização de materiais.
> Reação sólido-gás.
> Tensão superficial em escória.
> Viscosidade em escória.
> Calcinação.



Termobalança
Termobalança
Termobalança Nestzsch Mod. STA 409 composto de forno resistivo, balança analítica, painel de controle e sistema de aquisição de dados computadorizado.










Fornos Elétricos
Fornos utilizados em ensaios de redução e carbonização de carvão
Forno elétrico para ensaios de carbonização de carvão
Forno elétrico (três zonas) PRUFER
Microscópio de Aquecimento LEITZ - 1600ºC
Microscópio de Aquecimento LEITZ - 1600ºC:
> Forno resistivo de platina;
> Fotomicroscópio;
> Filmadora digital Full-HD.

Aplicação:
> Permite a observação e filmagem durante o aquecimento das mudanças de fases características de materiais, tais como cinzas de combustíveis, escória, materiais cerâmicos, vidros e misturas dos mais variados compostos inorgânicos;
> Fusibilidade de cinzas - DIN51730.



Moinhos de corte
Para trituração de materiais moles, semiduros, elásticos e fibrosos.

> Modelo: SM 100 [Marca: Retsch]

> Modelo: Star FT 50 [Marca: Fortinox]



Moinho oscilante
Para moagem de pequenas amostras de materiais moles, semiduros, duros e frágeis. Pode ser usado com criogenia para moagem de materiais elásticos e fibrosos.

> Modelo: MM 400 [Marca: Retsch]



Forno a plasma
Aplicação: produção de cinzas para análises química e mineralógica. Remove a matéria orgânica do carvão à baixa temperatura (aproximadamente 150°C). Evita que ocorram transformações na matéria mineral devido à queima.

> Modelo: K1050X PF Plasma Etcher/Asher/Cleaner EK 3158 [Marca: Quorum Techonologies]



Analisador de área superficial e porosidade
Aplicação: análise de área superficial e porosidade em materiais sólidos através de isotermas de adsorção/dessorção. Possível trabalhar com N2 à -196°C e CO2 a 0°C como adsorbatos.

> Modelo: NOVA 2200e [Marca: Quantachrome]



Analisadores térmicos
O LaSid dispõe de duas termobalanças da marca Netzsch. Estes equipamentos são reatores diferenciais de leito fixo que operam à pressão atmosférica e permitem o acompanhamento de reações gás-sólido. Podem ser realizadas análises de TGA (Análise Termogravimétrica), DSC (Calorimetria Exploratória Diferencial) e DTA (Análise Térmica Diferencial)

> Modelo: STA 409

> Modelo: PC 409 Luxx



Forno Mufla de Alta Temperatura (1600°C)
Este forno mufla, marca Jung (modelo LF0916 ) pode atingir temperaturas de até 1600°C, além de permitir o controle interno da atmosfera.




Unidade Laboratorial de Coqueificação
O LaSid conta com uma pequena unidade laboratorial para fabricação de coques metalúrgicos. Essa unidade possui um forno elétrico no qual uma retorta metálica com capacidade para até 1kg de carvão é submetida a aquecimento. Os dados de aquecimento do forno e da amostra são monitorados de forma instantanêa, através de termopares ligados a um microcomputador.




Tambor tipo I
Usualmente utilizado para avaliar a resistência de materiais carbonosos, tais como o coque ("Coke Strength after Reaction - CSR"). Através de um motor ligado a um inversor, o equipamento permite o controle da frequência de giro e do número de revoluções necessárias para cada teste.




Tubos de Microresistência
Utilizado para avaliar a microresistência de materiais carbonosos, principalmente coque (“Microstrength Test - Blayden e Riely”). Através de um motor ligado a um inversor, o equipamento permite o controle da frequência de giro dos tubos de microresistência e do número de revoluções. O equipamento permite a realização de dois ensaios simultaneamente.





Copyright © 2001-2005 LASID. Todos os direitos reservados.
 
Copyright © 2001-2005 LASID. Todos os direitos reservados.
Centro de Tecnologia Escola de Engenharia Universidade Federal do Rio Grande do Sul